Terça-feira, 26 de Julho de 2005

saudade...dia dos avós!

velha.jpg

Quase me passava despercebido mas a minha mãe fez questão de me lembrar que hoje era o dia dos avós, talvez para se sentir mais acarinhada pelos netos. Eu não ligo a dias " assinalados"mas não pude deixar de viajar a um lugar chamado saudade e lembrar a minha avó materna com quem sempre tive uma afinidade forte de carinho! Ela protegia-me das fúrias da minha mãe! Fúrias que hoje transformou em doçuras com os netos!
Tenho saudade de tanta coisa, os motivos são tantos, difícil até enumerá-los. Tenho saudade da minha infância, que apesar de não ser uma infância repleta de felicidade, tenho saudades do colo da minha avó! .
Foi com o meu avó que comecei a gostar de ler, sentava-se tardes a fio à janela da sua humilde casa a ler tudo o que lhe era possível na altura! E essa imagem ainda tenho na minha mente! Refugiava-se no quarto e ia sempre tomar o café só para ler o jornal e demorava horas a lê-lo , para descontentamento dos outros clientes! Hábitos que eu herdei durante anos no mesmo café e as comparações eram impossíveis de não serem feitas. Tenho saudade da pequena casa dos meus avós sempre cheia de filhos e netos. Uma casa onde faltava quase tudo mas havia sempre lugar para mais um! Um lugar sempre livre à mesa e o pouco que havia era repartido!
Hoje a casa já não existe no seu lugar está lá um prédio e eles moram num lugar que ninguém conhece onde a única referência que temos é uma lápida em cima de uma pedra fria. Mas para todos os efeitos é esta a última morada que lhe conhecemos e às vezes quando me sinto mais triste ou feliz vou-lhe lá contar! Falo mais com a minha avó ( coisas de mulheres) era bonita a minha avó , uma mulher de garra que partiu depois do meu avó já cansada de lutar com a velhice e a doença! Era o pilar de uma família numerosa e todos muito diferentes! Era uma mulher simples, mas muito respeitada cá na terra! Que saudades eu tenho de ti, mulher dos sete ofícios! Mulher que cedo me ensinou aprender que era preciso lutar, sei que se fosse viva ficava triste com algumas coisas que já fiz mas sei que me amava na mesma, porque eu sempre soube que era a neta mais próxima apesar de ter muitos, mas era eu que estava presente para levar ao médico, a passear ajudar a trabalhar que acompanhava na ambulância sempre que tinha as suas crises de falta de ar! Que saudades avó! Sei que se ainda estivesses entre nós não conhecias este mundo de tecnologias e violências! Não conheceste os meus filhos! Mas eu sei que estejas onde estiveres já me estendestes a tua mão e me ajudaste a encontrar o caminho mais certo nos momentos mais difíceis da minha vida!
A tua também não foi nada fácil era tão bom se me pudesses pegar ao teu colo e embalar com as tuas mãos fortes de trabalho árduo.
Tenho saudade da tua protecção . Quase nunca te vi chorar! Tu avó é que às vezes e só tu vias lágrimas em meu rosto, que eu deixava misturar com a chuva, mas que tu sabias distinguir os pingos da chuva com as lágrimas do meu rosto!
Tenho saudades tuas , como tenho! Tu que vives até hoje no meu coração, tão perto, mas não te posso tocar e pedir a tua ajuda! Beijar tuas mãos tremulas que afagavam meus cabelos de mulher, feita criança.
Tenho saudade de tudo que passei ao teu lado...e eu que nem sei se um dia serei avó! A vida é uma incerteza e eu ás vezes sinto-me já cansada, queria repousar no teu colo e ouvir as tuas palavras de mulher lutadora a dizer-me" Não tenhas medo...segue o teu caminho"
Ai que saudades eu tenho de ti!
publicado por pensadora2 às 21:55
link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De Anónimo a 29 de Julho de 2005 às 19:42
entendo aquilo que sentes...perdi o meu avô à pouco tempo e aidna é difícil encarar a sua perda. no fundo...ele vive em mim. gostei da maneira como falaste dos avós, uma avó é a nossa segund amãe e poucos a têm. devemos lembrar-nos das nossas melhores recodções. beijitos..Pensamentos em Branco.
(http://pensamentosembranco.blogs.sapo.pt)
(mailto:anakatcc@hotmail.com)


De Anónimo a 27 de Julho de 2005 às 19:33
Obrigado...Agradeço-te o teu comentário!Adorei...claro que me podes adicionar,e eu já aceitei!Fica bem!Neco
(http://www.imgay.blogs.sapo.pt)
(mailto:ccbaixinho@hotmail.com)


De Anónimo a 27 de Julho de 2005 às 19:28
É um texto muito bonito.Eu só conheci a minha avó paterna,mas nunca tivemos grande convívio,mas a saudade que sentes pela tua avó, eu sinto pela minha mãe que também já morreu.Às vezes penso que talvez lhe pudesse ter dado mais atenção e agora gostaria bem de a ter junto de mim.Realmente,só quando as pessoas partem é que nos apercebemos da falta que nos fazem.O PACIENTE PORTUGUÊS
(http://mmfmblog.blogs.sapo.pt)
(mailto:madacapricornio45@sapo.pt)


De Anónimo a 27 de Julho de 2005 às 16:36
Obrigado pelas tuas palavras de alento, de coragem... é o que neste momento mais preciso e sinto-me sem forças por tanto sofrer. O blog é a minha companhia de dia-a-deia. Obrigado mais uma vez pelo que disseste. Adorei os teus escritos. vou adicionar-te à minha lista de preferidos. Beijo. VentosoVentoso
(http://www.ventoso.blogs.sapo.pt)
(mailto:samuelbastosventoso@sapo.pt)


De Anónimo a 27 de Julho de 2005 às 15:15
Amiga. Que saudades que eu tenho da mha avó materna. Dela herdei o nome e uma grande vontade de lutar pela vida.E do ultimo dia que a vi tenho a lembrança do seu lindo e fino cabelo branco deitado ao vento.Quando se ama, ama-se para sempre.Obrigada amiga as tuas palavras foram mágicas.um abraço.silhada
</a>
(mailto:duska_maria@hotmail.com)


De Anónimo a 27 de Julho de 2005 às 13:00
As promessas são para cumprir (eis-me a cumprir uma)!
A foto transmite uma serenidade, uma meiguice, um carinho, que linda SENHORA (quem me dera estar agora no colo da minha avó)!
O texto são sentimentos reais e como tal de muito valor...
Fica bem, abraçomaria
</a>
(mailto:liberdademais@hotmail.com)


De Anónimo a 27 de Julho de 2005 às 12:03
Obrigado, pela tua visita. Não calculas a saudade que também me fizes-te sentir ao ler o teu post. Eu já só tenho um avô, mas tenho umas saudades loucas da minha avô também. Uma mulher calma, com pouco conhecimento da vida mas que sempre me fascinou a sua companhia. Ver os nossos partirem nunca foi fácil e estes dias levam-nos sempre a recordá-los com tanta saudade..beijosfilipa
(http://vidamarela.blogs.sapo.pt)
(mailto:filipa.patricio@iol.pt)


De Anónimo a 27 de Julho de 2005 às 09:12
Bonitas considerações sobre teus avôs,... pois é muitas vezes só muitos anos depois é que saboreamos o passado. PDivulg
(http://lacosazuis.blogs.sapo.pt)
(mailto:pdivulg@sapo.pt)


De Maria José Batista a 31 de Março de 2009 às 23:22
Olá boa noite,

Não pude ficar indiferente a este texto, pelo facto de que sou avó há 21 dias, e é um sentimento maravilhoso, quando fui mãe, chorei quando vinascer as minhas filhas, e agora chorei quando assisti ao parto do meu netinho Guilherme. Quando se diz que somos mae a dobrar, não concordo, acho que podem dobrar e dobrar e dobrar...o meu neto tem a sorte de ter uma avó jovem (41 anos) e vou curtir muito o meu neto...quero mostrar tudo para ele...quero contar-lhe sobre o bisavô que foi o meu heroi, e da bisavó que passa a vida zangada...tenho tanto para lhe dar...amem os vossos netos, e amem os avós.


Comentar post