Domingo, 17 de Julho de 2005

o meu quarto..

fechadura2.jpg
O meu quarto

Podia ser um quarto como tantos outros que existem em tantas casas, cidades e países, com uma cama , um guarda –roupa, uma cómoda…e tantas outras coisas..mas é o meu quarto e por isso é diferente de todos!
Um quarto só meu que já não reparto com ninguém, remodelei –o, ele já partilhou comigo vários momentos. Aquelas paredes são diferentes de todas as outras da casa, já me viram chorar, doente, desanimada, pensativa, nua , vestida…viver momentos de prazer e de dor…
Às vezes deito-me cansada , triste, revoltada comigo com o mundo e com a vida! E desabafo nele a minha mágoa.
Na mesa de cabeceira amontoam-se vários livros que me fazem pensar, sonhar ou viajar num mundo que não é meu! Muitas vezes me sinto personagem de uma história que não me pertence…no chão revistas que me fazem reflectir…e em cima da mesa de cabeceira o despertador que não uso porque substitui pelo telemóvel o leitor de CD portátil para me deixar embalar por melodias de sonho ou tristeza…Que me fazem recordar sonhos antigos, histórias e amores passados e que tento tirar da lembrança mas que a saudade não deixa!
É o sitio perfeito para pensar , em tudo e sobre tudo. Deito-me na minha cama e tudo parece diferente, nas noites em que as horas parecem nunca mais passar..a minha cama não reclama das voltas e revoltas que dou, os cobertores são tratados como intrusos!! Ela já me sentiu viajar, o coração a palpitar, voar, gritar..chorar…mas sem nunca sair do lugar! E sempre soube ouvir os meus gritos de alerta!
O meu quarto é o “meu porto de abrigo”… um amigo, quase a minha segunda consciência. Se as paredes falassem podiam contar quase toda a minha história porque já lá vivi ou recordo os bons e os maus momentos de uma vida!
Ao falar do meu quarto sinto-me uma jovem adolescente , porque eles normalmente gostam tanto do quarto, que se refugiam lá e quase colocam autocolantes na porta” Não incomodar” “Proibida entrada a estranhos” arrumam e desarrumam e quando não querem ver ninguém fecham-se com a musica bem alta.Lá virá o dia em que um quarto da casa será quase impedida a minha entrada…como eu fazia aos meus pais!
O meu tem sempre a porta aberta, mas os segredos ficam gravados em cada canto ou recanto…e mesmo sem fechar a porta eles não voam …ficam ali quietos e parados!
O quarto é o lugar mais íntimo de uma casa…ele nos conhece por dentro e por fora….
E todos temos os nossos segredos, os nossos jardins proibidos, coisas que guardamos no mais intimo de nós! E eu como toda gente também tenho os meus segredos, por mais que falemos de nós há uma parte que apenas habita no nosso ser, no nosso pensamento e que em nenhuma chave consegue abrir! Mesmo aqueles que têm a chave do nosso coração…e entram dentro dele com facilidade! E são tantas as pessoas que temos dentro do nosso coração embora com sentimentos bem diferentes!

pensadora

publicado por pensadora2 às 22:55
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De Anónimo a 22 de Julho de 2005 às 17:32
Tenho passado várias vezes por aqui, para deixar um comentário! Li e reli o texto várias vezes! Já não consigo contar quantas vezes foram. Acabo por ficar sem palavras. Mas, agora queria que ficasse aqui o meu rasto! O texto é lindo, adorei! Desses momentos bons e maus que tivestes, guarda os bons! E que esses momentos bons que tivestes, espero que te fizessem feliz de alguma maneira! No teu blog tens textos que eu considero, muito bons! bjsAnónimo
(http://cccc)
(mailto:my_heart99@hotmail.com)


De Anónimo a 21 de Julho de 2005 às 14:22
Posso entrar? Só para te dizer que realmente o nosso quarto merece tudo por nos acompanhar nas nossas melhores e piores horas! Um beijinho...Marta
(http://redwoman33.blogspot.com)
(mailto:redwoman@iol.pt)


De Anónimo a 20 de Julho de 2005 às 14:52
Tens uma maneira bonita de falar das coisas mais simples e que não lembram a ninguém, mas de facto ao ler o teu texto lembrei que o quarto traz-nos muitas recordações. bjsMarie Rose
(http://aindavoukerer.blogs.sapo.pt)
(mailto:rosarioams@hotmail.com)


De Anónimo a 20 de Julho de 2005 às 13:35
Desculpa pensadora mas estavas a falar do teu quarto ou do teu coração? Adorei o texto. Nunca tinha parado para ver o meu "quarto" da forma como tu o fizeste. Parece que conheces o meu também.calipso
(http://calipso.blogs.sapo.pt)
(mailto:calipso_so@sapo.pt)


De Anónimo a 18 de Julho de 2005 às 16:40
O meu quarto...
O texto está lindo.Nunca feches a porta do teu quarto nem a tua porta.Ama. Um abraçosilhada
</a>
(mailto:duska_maria@hotmail.com)


De Minie a 12 de Fevereiro de 2012 às 21:46
Adorei , posso leva lo para a minha aula ?


Comentar post