Sábado, 9 de Julho de 2005

as flores do jardim da nossa casa

ROSA2.jpg

O poema que vou transcrever é cantado por Maria Betânia, considero um poema de rara beleza e transcreve sentimentos pelos quais já todos passámos em algum momento da nossa vida...

" As flores do jardim da nossa casa
Morreram todas de saudade de você
E as rosas que cobriam nossa estrada
Perderam a vontade de viver

As coisas que eram nossas se acabaram
Tristeza e solidão é o que restou
As luzes das estradas se apagaram
E o Inverno da saudade começou
As nuvens brancas se escureceram
E o nosso céu azul se transformou
O vento carregou todas as flores
E em nós a tempestade desabou

Eu já não posso olhar nosso jardim
Lá não existem flores
Tudo morreu para mim

Não posso mais olhar nosso jardim
Lá não existem flores
Tudo morreu para mim

Mas não faz mal
Depois que a chuva cair
Outro jardim um dia
Há de reflorir

Eu já não posso mais olhar nosso jardim
Lá não existem flores
Tudo morreu para mim"

Todos nós em determinado momento da nossa vida olhámos em nossa volta e não vimos flores no nosso jardim, tudo morto, um jardim de Inverno e nós sem forças para o reconstruir. Sentimos esse vazio porque partiu alguém de quem gostávamos, ou porque a vida nos traçou alguma cilada para a qual não estávamos preparados.
Tudo à nossa volta está sem vida! Mas um dia quando menos esperamos uma sementinha que ficou quase esquecida naquele deserto começa a nascer ,a florir e aos poucos voltamos a ver vida em nosso jardim, em nosso coração. A esperança volta a renascer naquela pequena semente e com amor e carinho voltamos a criar um novo jardim, talvez diferente do primeiro, mas também cheio de beleza.Talvez flores brancas em vez de vermelhas...amarelas, azuis, cor-de rosa...aos poucos um novo jardim cheio de cor está diante de nós!
Triste daquele que fica sentado a olhar o jardim desnudado sem forças, ou esperanças em plantar um novo jardim , torna-se num ser sem beleza que não sabe amar nem cuidar de uma simples flor! À sua volta é só tristeza e dor...e um jardim abandonado onde já não caem chuvas porque as nuvens que o assolam tornaram-se cinzentas mas secas. Não sabem deixar cair chuva em forma de lágrimas, para se tentarem proteger!
Mas que é a vida sem um jardim para cuidarmos ? Uma plantinha para regarmos?...

pensadora
publicado por pensadora2 às 22:40
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. na falta de inspiração...

. acordes da vida...

. adversidades da vida...

. neste momento só me resta...

. tentarei pensar...

. disfarce autorizado...

. um mimo do meu marinheiro...

. a ausência...

. o silêncio...

. resistir ao inverno...

.arquivos

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds