Sábado, 29 de Outubro de 2005

sete anos passaram...

mae.jpg



Sete anos passaram desde o dia que te vi pela primeira vez…sofreste muito tu e eu! Nasceste com marcas dos ferros, mas mesmo assim não quiseste vir para este mundo dessa forma natural ,depois de muitas horas de luta lá resolveram que tinham de tirar de dentro mim de outra forma e assim foi. Estava exausta e cansada mas vi-te tão pequenino e indefeso e apesar de estar dolorida tive de ir buscar forças para tratar de ti.
Ainda me lembro das noites mal dormidas, das corridas para o hospital contigo com falta de ar...ainda me lembro do primeiro banho, do primeiro biberão..e hoje já és um homenzinho…. Sinto que cada vez estás mais livre! Mais independente!
Mas hoje ao ver o teu sorriso, a tua alegria sempre que chegava um amiguinho teu com um presente…há mais de um mês que não falavas em mais nada senão nos teus anos…apenas a chuva que não foi convidada apareceu! Isso entristeceu-te um pouco! Mas ainda te deu uns minutos para chutarem à bola como louco contra uma baliza seis ou sete bolas pelo ar , todos ao mesmo tempo, que alegria que euforia! Mas há medida que vais crescendo vais perceber que há coisas que te vão entristecer mais que a chuva no dia dos teus anos.
Eu vou tentando sempre amenizar as tuas dores, tristezas e tentando que as tuas quedas, nem sempre consigo que não caias mas tento que a queda seja menos dolorosa!
Sei que hoje meu marinheiro tiveste um dia feliz e claro o teu irmão também vibrou com tantos meninos…
Eu sinto-me cansada , mas feliz por te ver feliz, aliás que importância tem a casa desarrumada , ou tudo fora do sitio? O que importa foi ver a tua alegria, felicidade e sentir o quanto era importante para ti este dia.
Um dia que eu recordo como um dos dias mais bonitos, fortes e intensos na minha vida, o meu marinheiro veio ao mundo depois de algumas dificuldades!
Enquanto puder meu marinheiro( os) terão sempre festas de aniversário felizes com muitos amigos. Tentarei sempre ensinarmos a importância da palavra amizade e tentarei sempre que caminhem nos corredores da verdade do amor , da sinceridade para que possam fazer o vosso caminho com alegria caminhando pelos vossos pés e eu sempre atenta a cada passo mesmo que de uma forma disfarçada!
Os meu marinheiros já descansam cansados mas felizes! E eu irei também repousar no quarto ao lado feliz por vos ter ao meu lado e mesmo sozinhos termos conseguido sermos felizes e estarmos sempre juntos!
Ser vossa mãe é a minha maior felicidade! Obrigada por existirem me amarem e estarem sempre ao meu lado!

pensadora
publicado por pensadora2 às 23:03
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Quinta-feira, 27 de Outubro de 2005

uma mensagem de carinho/ amizade...

ternura.jpg

Não é muito meu hábito escrever aqui coisas que não são minhas, mas hoje recebi esta mensagem e não resisti colocá-la aqui! Obrigada!

Do poeta: Carlos Drummond de Andrade

"Quando encontrares alguém e esse alguém fizer o teu coração parar de funcionar por alguns segundos, presta atenção: pode ser a pessoa mais importante da tua vida.
Se os olhares se cruzarem e, neste momento, houver o mesmo brilho intenso entre eles, fica alerta: pode ser a pessoa que tu estás à espera desde o dia em que nasceste.
Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem de água nesse momento, percebe: existe algo mágico entre vocês.
Se o 1º e o último pensamento do teu dia for essa pessoa, se a Vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradece:
Algo do céu te mandou um presente divino: O AMOR.
Se um dia tiverem que pedir perdão um ao outro por algum motivo e, em troca, receberes um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem mais que mil palavras, entrega-te: vocês foram feitos um para o outro. Se por algum motivo estiveres triste, se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa sofrer o teu sofrimento, chorar as tuas lágrimas e enxugá-las com ternura: poderás contar com ela em qualquer momento da tua vida.
Se conseguires, em pensamento, sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do teu lado... Se achares a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijama velho, chinelos de dedo e cabelos emaranhados...
Se não conseguires trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo Encontro que está marcado para a noite... Se não consegues imaginar, de maneira nenhuma, um futuro sem a Pessoa ao teu lado...
Se tiveres a certeza que irás ver a outra envelhecendo...e, mesmo assim, tiveres a convicção que vais continuar sendo louco Por ela...
Se preferires fechar os olhos, antes de ver a outra partindo: é o amor que chegou na tua vida. Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro. Às vezes encontram e, por não prestarem atenção nesses
Sinais, deixam amor passar, sem deixá-lo acontecer verdadeiramente. É o livre-arbítrio. Por isso, presta atenção aos sinais".


Não deixes que as loucuras do dia-a-dia te deixem cego para a melhor coisa da vida: o AMOR!!! Ama muito.....muitíssimo.......Beija alguém de quem gostas quando receberes esta mensagem, mesmo que seja em pensamento.
publicado por pensadora2 às 21:07
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 23 de Outubro de 2005

sol de inverno...

o sol.jpg

Hoje foi um daqueles dias em que o sol brilhou lá fora mas dentro de mim havia uma chuva miúdinha de umas nuvens que tentavam silenciar o vazio que havia em mim.
Sinto que a minha pele se está enrugar aos poucos
que os dias se transformam em anos.
Tento ter a mesma força de outros tempos
mas ela escapa-me entre os dedos
como grãos de areia fina.

Atrás de cada linha de chegada,
há uma de partida,
atrás de cada engano, há outro desafio.
Tento dizer isto a mim sempre que
Sinto as minhas pernas a fraquejar,
O meu pensamento a esvaziar-se
a deixar-se atormentar por medos e fantasmas
do passado e presente!

Às Vezes quero ser diferente fazer algo novo
Mas acabo sempre por repetir os meus actos
Os mesmos erros e caminhar pelos mesmos
Caminhos.
Tento não viver de fotos amareladas
Apagadas pelo tempo
Escritas de uma vida passada
Que tenta não me deixar seguir enfrente
Parece que existe sempre algo invisível
À espera que eu desista de ser eu!

Mas não vou desistir
Quando não puder andar depressa, caminho.
Quando não puder caminhar uso uma bengala,
mas vou tentar nunca desistir!
Mesmo que dentro de mim haja um sol de Inverno!


pensadora
publicado por pensadora2 às 19:59
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|
Quinta-feira, 20 de Outubro de 2005

do virtual para o real...

maquina de escrever.jpg

Muitas vezes a passagem do virtual para o real é bastante dura.
Para outros, impossível.
Lembro-me dela, que não era ela, era ele.
Lembro-me dele que não tinha charme algum,
embora fosse um verdadeiro Don Juan no virtual.
Sabia lidar muito bem com as palavras escritas.

Lembro-me de toda aquela falsa alegria que vários deixaram transparecer
durante anos através das letras e que, no real, não passaram de farsas
Lembro-me de opções sexuais que não eram verdadeiras
e de amizades que não foram sinceras.


Lembro-me de críticos literários.
Viviam de um sonho que possivelmente jamais concretizaram.

Lembro-me dos exaltados, ferozes, provocadores.
Verdadeiras pessoas calmas no real.

Lembro-me de profissões virtuais.
Médicos, Advogados, Engenheiros.
Seres reais que nunca entraram numa universidade.

Lembro-me dos donos da verdade virtuais, apenas virtuais.
No real, não tinham opinião a respeito de nada.
Perdiam-se dentro das suas próprias dúvidas.

Lembro-me dos intelectuais, vários, a maioria de cafés de mesa,
Lembro-me de amores que jamais passaram para o real que no virtual já eram impossíveis.
Se bem que necessários.

Lembro-me do carácter dos seres virtuais.
Como distinguir os bons e os maus?
Ainda não existe em nenhum computador uma peça que se encaixe
e faça uma luz vermelha ou verde piscar a cada e-mail que entra
na nossa caixa de correio dando-nos a informação que precisamos.

Lembro-me dela que tomou ele da outra e dessa mesma outra que nunca foi dele.
Mas havia quem dissesse - Ele é meu! Ela é minha!

No virtual, ninguém nunca foi de ninguém e quando chegaram ao real, poucos foram de alguém.

Lembro-me da unanimidade virtual, talvez a única coisa real.
Lembro-me de enigmas. É assim ou assado? É falso ou verdadeiro?
E lembro-me dos especialistas em enganar, trapacear, provocar.

Lembro-me dos ofendidos, feridos que sangravam virtualmente até não poder mais.

Lembro-me das doenças virtuais(?), das mortes(?), das fugas e dos sumiços.
Seres que nem mesmo no virtual conseguiram sustentar seus personagens.

Lembro-me dos ódios e intrigas.

Lembro-me de mim, em meio a um tiroteio invisível e a um carinho duvidoso.
Lembro-me tão bem das carências excessivas que desabrochavam em palavras dolorosas.

Lembro-me da criança que era um adulto e do adulto que era uma criança.
Lembro-me da ofensa, da necessidade de denegrir a imagem de pessoas
que incomodavam a outras pelo simples facto de se destacarem virtualmente.

Lembro-me, finalmente, que o virtual jamais conseguiu ser real
e que o real vivia a anos luz do virtual.

Depois de lembrar-me de tudo isso chego a conclusão que apenas sei
que nada sei sobre o mundo virtual, assim como ninguém sabe.


Mas que ele me atrai, atrai...

pensadora
publicado por pensadora2 às 18:38
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Segunda-feira, 17 de Outubro de 2005

há momentos na vida...

roda gigante.jpg





Há momento na vida que temos frio no calor,
fome na fartura,
medo da loucura dos caminhos não trilhados.

Há momentos na vida que temos vontade de morrer
não temos resposta para nenhuma das nossas questões
Temos ansiedade de saber tudo que não podemos aprender

Há momentos na vida que sentimos a tortura de ter
uma só vida e não termos duas.
E ela nos arrastar para um caminho que não queriamos.

Há momentos na vida que temos pressa de chegar
mesmo que não saibamos para onde ir
ou que caminho seguir

Há momentos na vida que temos ânsia de encontrar
e receio de buscar.
Temos dúvidas, temores, medos e dores
questões por resolver,
amores por esquecer,
segredos para esconder,
muitos dias ainda por viver,
muitos pedidos por fazer
mas não sabemos a quem recorrer!

Há momentos na vida que nos sentimos rejeitados
Sentimos um amontoado de desilusões,
de conflitos e atritos,
longas noites para chorar
mas mesmo assim sabemos que temos algo de bom para dar
muitas vezes não temos é quem presentear.

Há momentos na vida que temos setas a indicarem-nos o caminho
mas raramente as seguimos e resolvemos ir por caminhos
mais dificeis e nunca trilhados mas que pensamos
ser o caminho certo!
Ou então ficamos estagnados no mesmo lugar
porque temos medo de caminhar
E assim vamos vendo a vida passar
e esqueceram-nos de nos avisar que ela não volta atrás...
Que não temos tempo para passar tudo a limpo.

Há momentos na vida que nos sentimos numa roda gigante
que nunca sabemos quando vai terminar e porque emoções vamos passar
e sentimos um turbilhão de sentimentos, dores, angústias e sonhos.
Quando a roda pára ficamos estaganados sem saber o que fazer
mas realmente o tempo não volta atrás nem numa roda gigante!

pensadora



publicado por pensadora2 às 19:42
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Quinta-feira, 13 de Outubro de 2005

estou cá hoje...

mar de sonhos.jpg



Amigos tal como disse afastei-me durante alguns dias e talvez não volte com a mesma periodicidade de outros tempos . Mas hoje estou cá para falar um pouco mais abertamente de mim e das razões que me levaram afastar.
Desde já quero agradecer a todos que responderam dando palavras de conforto e carinho!
Eu sei que todos nós temos uma história de vida, uns uma história mais calma serena talvez saídas das páginas de um livro de fadas, outros mais parecidas com histórias de, dor e tristeza. Só que há momentos na vida em que as páginas dos livros se misturam e saltam de uma para a outra. Às vezes quase sem percebermos como tudo aconteceu!
Eu neste momento e em muitos momentos da minha vida não consegui perceber bem que história de vida era a minha, mas sempre fui vencendo as dificuldades e sorrindo nas alegrias. Às vezes por coisas tão simples, como receber um email, um telefonema, de alguém que eu considerada desaparecido e ausente, um comentário ao meu blog. Mas que ajudaram a caminhar.
Então é assim meus amigos, a vida agora resolveu arranjar-me uma doença crónica que não mata mas dói e limita alguns dos meus movimentos e com a qual tenho de aprender a viver. Confesso que já vivi muitas dores psicológicas, percas , pressões, desilusões... agora tenho de aprender a viver com as dores físicas. Foi me diagnosticada uma doença com um nome pomposo e até que ficou na moda porque algumas figuras públicas a têm, mas eu confesso que nem gosto muito de certas modas ( rs) mas esta não a escolhi em nenhuma prateleira de uma loja da moda ela escolheu-me e veio ao meu encontro. Foi se instalando devagarinho, dando sinais que poderiam ser mil e uma coisas e eu fui fazendo exames e correndo médicos, até que não sabendo mais onde ir comecei a desconfiar , a pesquisar e fui orientada para um Reumatologista, Que depois de me examinar e ouvir as minhas queixas deu o veredicto final . Fibromialgia ( o nome até é pomposo) até agora calei mas minhas dúvidas até porque não gosto de comentar a minha vida porque acho ninguém me vai resolver os meus problemas e toda agente tem opiniões e soluções. Só que achei que vos devia esta explicação !
Quero aprender a viver com estas dores e tentá-las vencer.
Por isso meus amigos me senti perdida e precisei de me afastar até ter certezas mas elas chegaram e não tenho mais que esconder!
Agora sinto-me triste e algo perdida mas com o tempo voltarei a ser a pessoa alegre e lutadora que sempre fui!
È uma questão de aprendizagem….afinal a vida é uma aprendizagem constante e esta é mais uma.
Espero voltar brevemente aos meus textos de antigamente, mas hoje confesso que ainda não tenho inspiração nem vontade ou forças!

pensadora
publicado por pensadora2 às 20:33
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. na falta de inspiração...

. acordes da vida...

. adversidades da vida...

. neste momento só me resta...

. tentarei pensar...

. disfarce autorizado...

. um mimo do meu marinheiro...

. a ausência...

. o silêncio...

. resistir ao inverno...

.arquivos

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds