Domingo, 26 de Junho de 2005

a paixão da sua vida...

mao.jpg


" Amava a morte. Mas não era correspondido. Tomou veneno . Atirou-se de pontes. Aspirou gás. Sempre ela o rejeitava, recusando-lhe o abraço.
Quando finalmente desistiu dessa paixão entregando-se à vida, a morte, enciumada, estourou-lhe o coração".
( Marina Colasanti)

Não é de morte que quero falar ,mas de vida, porque a morte é algo que nem adianta procurarmos porque um dia ela chega sem aviso e temos de deixar tudo inacabado. Por nós choram os familiares os amigos, e até os " inimigos" lamentam a nossa partida. Já tive momentos na minha vida e talvez por atracção do desconhecido a morte me atraia ou não encontrava razões para viver. Só que hoje olho lá para fora e vejo um Sol tão bonito que me entrelaça nos seus raios, a lua que já espreita e também ela me vai dar a mão e embalar nos meus sonhos de menina mulher.
Quantos de nós já não pensámos na morte como a solução para os nossos problemas , mas o ser humano tem uma capacidade de resistência que ele próprio desconhece e só em situações limites têm consciência disso!
Eu não quero partir, quero ficar porque estou a reaprender a ser feliz, quem me dera poder fazer um contrato contigo eu chamava-te quando quisesse mas tu és uma marota e não aceitas contratos, nem avisas, muitas vezes nem sinal dás...
Agora que me apaixonei pela vida e sei que tenho menos tempo para viver do que aquele que já vivi, mas mesmo assim quero aproveitar cada momento, cada segundo, cada instante do meu dia, do meu tempo...Deixa-te ficar eu chamo-te quando não estiver apaixonada pela vida, ou quando sentir que já cumpri a minha missão nesta por estas bandas.
Agora que o tempo parece andar mais rápido, eu não quero partir porque além de tudo que já tinha libertei-me de alguns pesos e encontrei de novo o caminho para a felicidade...
Morte deixa-te ficar do outro lado do mundo e deixa-me ser feliz! Não fiques ciúmenta porque um dia serei tua...aliás um dia terás todos os seres deste mundo! Não sei como aguentas tantas paixões, porque todos temos uma certeza um dia seremos teus!
Mas agora deixa-me ser dos meus amigos, filhos, familiares e da pessoa que me emprestou o livro de onde tirei o texto inicial....deixa-me sentir novamente a paixão da vida!
Adeus morte não venhas , eu chamo-te pode ser?
Tu não costumas fazer acordos..mas não poderás brir uma excepção? Sabes ainda tenho muito para fazer aqui por estas paragens...

pensadora
publicado por pensadora2 às 21:06
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 27 de Junho de 2005 às 16:41
Simplesmente, gostei.
Continua a amar a vida.
Um abraço.Silhada
(http://duska_maria@hotmail.com)
(mailto:duska@iol.pt)


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. na falta de inspiração...

. acordes da vida...

. adversidades da vida...

. neste momento só me resta...

. tentarei pensar...

. disfarce autorizado...

. um mimo do meu marinheiro...

. a ausência...

. o silêncio...

. resistir ao inverno...

.arquivos

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds