Quarta-feira, 4 de Maio de 2005

sentir-se só...


“ Nós podemos curar as doenças físicas com remédios mas a única cura para a Solidão e desespero chama-se “ Amor” . Existe muita gente no mundo que é capaz de morrer por um pedaço de pão, mas existe muito mais gente que é capaz de dar a vida por uma migalha de “ AMOR”( Madre Teresa de Calcutá)

Para a dor física vão existindo soluções: remédios, um comprimido, uma pomada, um antibiótico. Com a evolução da ciência os processos de descoberta para travarem novas doenças são uma constante! Embora ainda haja muito para descobrir! Mas para a dor da “ alma”, a dor de se sentir só, mesmo estando rodeada de gente, para essa não há ciência que descubra a poção mágica.
Sentir-se só é um estado de alma, é algo que vem do interior e é muito mais profundo do que estar sozinho fisicamente. Podemos sentir a mais profunda das solidões estando com alguém e ser bem mais dolorosa do que quando estamos apenas em nossa companhia.
A única pessoa que nos vai acompanhar para sempre somos nós próprios, muitas pessoas entram e saem das nossas vidas. Mas ninguém se consegue livrar de si próprio!
Quando aprendermos a cultivar o nosso interior e a gostar da nossa imagem, deixaremos passar para o exterior a nossa sinceridade, o nosso sorriso, a nossa simpatia e a sociedade deixar-se-á envolver. A nossa vida terá mais sentido!
Haverá solidão maior do que repartir um espaço com alguém que dorme ao nosso lado e nem se apercebe que choramos baixinho? Haverá maior solidão do que chegar a casa e em vez de se partilhar as nossa angústias e alegrias temos alguém que sussurra umas palavras e se senta no sofá sem nos escutar? A este tipo de solidão poderemos chamar solidão a dois! Já estão separados por dentro mas continuam juntos por fora! Repartem o mesmo espaço físico mas pouco os une!
A solidão é um sentimento de vazio que todos sentimos numa ou outra fase da nossa vida! Mas não é por se viver sozinho que sofremos de solidão!
Neste momento quantas pessoas no mundo se sentem sós, mesmo tendo a casa cheia de gente?
A Solidão atenua-se e combate-se, não com medicamentos, nem com os famosos anti -depressivos ; esses aliviam o mau estar físico mas a dor da alma e o vazio continua a habitar em nós consumindo a nossa esperança e a vontade de vencer.
O afecto vindo do exterior ou do nosso interior pode fazer milagres, um simples telefonema, um e-mail, um sorriso, coisas tão simples para quem as dá mas tão preciosas para quem as recebe!. Um pequeno gesto pode deter uma lágrima!
Muita gente tenta interpretar a solidão como um vazio interior, uma insatisfação no emprego que na maioria das vezes se tenta preencher com aquisição de bens materiais e dedicação extrema ao trabalho ou outras actividades de lazer e culturais. Mas por mais que se envolvam continuam a sentir um rasto de tristeza numa vida na qual não encontram sentido e à qual sentem não pertencer.
Quantos não são os que oferecem a sua vida porque essa migalha de amor, solidariedade e carinho que nunca chegou e procuraram -na em cada pessoa nova que se cruzou no seu caminho, em cada nova tarefa em que se envolveram. Mas um dia perdem as forças e não morrem por um pedaço de pão mas por um pedaço de amor!
Enquanto não aprendermos a viver e a gostarmos da nossa companhia a solidão será sempre um estado de alma!
Faremos feridas profundas com o coração em chamas de dor e angústia e em vez de um sorriso no rosto, temos um olhar triste e apagado Se conseguirmos paz interior, talvez o nosso coração se ilumine e a solidão nos deixe em paz!
Mas a solidão de chegar a casa todos os dias e ter sempre as luzes apagadas, ninguém à nossa espera durante dias e anos a fio, não ter com quem partilhar uma notícia ou um filme que se viu, também não é fácil, daí ser muito importante aprendermos a viver connosco próprios . Porém o ser humano precisa de partilhar e conviver discutir as suas ideias. O homem não é um ser isolado nem foi educado para esse isolamento.
As luzes sempre apagadas também provocam uma tristeza difícil de superar, o Homem não nasceu para viver só. Aliás, nenhum ser vivo habita em seu habitat de uma forma solitária, tem as suas crias, o seu domínio e ataca ou defende em grupo.
O caminho de viver só ou estar só é um longo caminho, que nem todos têm forças para superar e muitos perdem-se em percursos sem volta para se sentirem menos sós.
Refugiam-se no álcool na droga no saltar de cama em cama que, na maior parte das vezes, ou leva à destruição enquanto ser ou, depois de tudo terminar a pessoa sente-se ainda mais só sem rumo, sem direcção. Esgotada emocionalmente, isola-se para sempre de um mundo ao qual já não se adapta nem é aceite.
Tentamos esconder-nos mas não podemos fugir de nós próprios.
E para muita gente neste momento bastava um sorriso para a solidão ou a sensação de tristeza ficarem empacotadas...mas como esse sorriso não chega de nenhuma das formas possíveis vão se deitar com a solidão e quem sabe acordar com ela e transportá-la dia-a-dia como um fardo cada vez mais difícil de suportar...Mas mesmo no meio da tristeza é preciso acreditar que depois da noite por mais longa que seja vem sempre o dia e com ele uns raios de Sol! Que às vezes teimamos em não ver, ou tentar ignorar que ele brilha na nossa direcção e voltamos-lhe as costas e seguimos em direcção à escuridão que por medo e desilusão teimamos viver nessa escuridão, porque assim pensamos que nos vamos proteger de novas desilusões, de novas solidões!...
Mas não há solidão maior do que não querer ver o Sol mesmo que sejam apenas uns pequenos raios...como agora que ele se está a esconder para dar lugar à noite!
pensadora
publicado por pensadora2 às 20:50
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De viviane a 5 de Agosto de 2009 às 13:21
grandemente,enormemente,fabulosamente,barbaro
fantoastico,é o que eu precisava saber,obrigada,obrigada,obrigada...tem que continuar divulgando isso faz favor!!!!!!como enviar isto ?não sei mexer bem nessa coisa e meu fillho não tem tempo e nem paciencia de me explicar e ainda por cima tive que sair da aula de pc ,vou ver se entro noutra ,abraço.... Feliz agora....


De xpto a 5 de Novembro de 2010 às 17:50
Sim a solidão dói cá dentro, mas sintamos os pequenos raios de sol, por mais fraquinhos que sejam e sigamos em frente... este texto ajudou a compreender-me um pouco mais. parabéns à autora.


De alisson cericatto a 25 de Maio de 2010 às 02:35
mt bom o texto retrata um boa parte de minha vida


De Raquel a 2 de Dezembro de 2010 às 02:13
Adorei o que vc escreveu e gostaria que minha cunhada ealgumas amigas lessem, mas nao consigo enviar por e mai. Como faco isso? Beijos e obrigada por ser infinitamente sensivel.


De lu a 23 de Julho de 2012 às 23:10
Eu adorei tudo oque li sou casada e mesmo assim as vezes me sinto só quando comecei a ler comecei a chorar mexeu muito comigo parabes a autora


De ligerinho a 9 de Dezembro de 2012 às 23:20
Obrigadoooo... eu tinha que ler algo como isso... me sinto sóó... agora posso lidar com o meu maior inimigoo, "eu mesmo", por que por mais que eu possa derrotar, conquistar, correr por algo, não conseguiria ser vence a mim mesmo...


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. na falta de inspiração...

. acordes da vida...

. adversidades da vida...

. neste momento só me resta...

. tentarei pensar...

. disfarce autorizado...

. um mimo do meu marinheiro...

. a ausência...

. o silêncio...

. resistir ao inverno...

.arquivos

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds