Domingo, 13 de Março de 2005

aquela que embala o berço e envelhece...

“ “Me dói lembrar que um dia foi você que enxugou minhas lágrimas e um dia será você que me fará chorar “

Antes de ser mãe o tempo corria devagar, ao fim de semana não tinha horas para deitar ou levantar , as noites não eram interrompidas. Passava o tempo que queria ao telefone, saia à hora que me apetecia. Só pegava num bebé pelo prazer de pegar, não tropeçava em brinquedos nem me preocupava com vacinas ou pediatras.
Quando há seis anos atrás te tiraram de dentro de mim com algum esforço, não querias sair , talvez te sentisses bem no meu ventre que te protegia do mundo cá fora, percebi que nada iria ser igual. Eras tu que irias passar a controlar as minhas horas a minha vida.
As noites mal dormidas, acordar cedo mesmo ao fim de semana, noites a correr contigo para o hospital com febre ou falta de ar, vacinas em dia, biberões a ocupar espaço na cozinha, latas de leite e fraldas, brinquedos espalhados pela casa. Mas também percebi que dentro do meu coração tudo estava diferente, era um amor diferente de todos os outros. Nunca tinha amado ninguém daquela forma que te amei a ti mal te vi tão pequenino e indefeso e te puseram ao meu colo.
E ao longo destes anos assim tem sido; tu e o teu irmão ocupam o meu coração ,a minha vida, o meu tempo. Quantas preocupações, quantos transtornos quando adoecem, mas quanta alegria de vos ver sorrir.
Eu continuo com o meu olhar sereno, apaixonada por vocês , muitas vezes me esqueço de mim para vos dar tudo que posso.
Sei que nem sempre será assim, um dia vocês já não vão querer os meus beijos, carinhos , mas mesmo assim eu vou continuar a viver para vocês. Um dia serão homens e eu deixarei de ser a pessoa mais importante da vossa vida, vou envelhecendo e vocês irão esquecer por vezes que serei eu que precisarei do vosso carinho, da vossa ternura.
Vai ser o telefone que não toca, as visitas a casa cada vez mais raras porque não vão ter tempo para mim , mas eu continuarei a vibrar com os vossos sucessos e a sofrer com os vossos insucessos, e continuarei, talvez já enfraquecida pelo passar dos anos, sentada numa poltrona a olhar para a janela e à espera que a porta se abra e sejam vocês para me fazer um pouco de companhia; mas seja qual for o vosso rumo, estarei sempre à vossa espera e perto de vocês para vos ouvir e ajudar.
Nada na vida é definitivo, apenas o amor de mãe, esse ninguém consegue arrancar do peito, por mais que o vosso caminho não seja aquele que sonhei para vocês.
Quando estiver já cansada de lutar, com o olhar triste pelas amarguras da vida, mesmo assim vocês serão os meus meninos de olhos vivos e cabelo claro.
Já não são vocês que me esperam à saída da escola ou para vos levar à piscina , mas serei eu que vos esperarei mesmo que sinta que não vêm .Mas não vou reclamar, vocês têm o vosso caminho e a mim só me resta amar-vos não atrapalhar o vosso crescimento. Quando já não puder caminhar com vocês, gostava de caminhar pelo menos ao vosso lado, nem que seja numa passada mais curta… e que muitas vezes fique para trás.
Sei que talvez não sigam o caminho que desejarei para vocês , que talvez muitas vezes vamos discordar porque eu gostava que vocês pudessem sempre seguir o vosso caminho nos meus pés para vos poder guiar e evitar mágoas e quedas mas sei que não será assim ! Já sinto em vocês uma personalidade forte e um dia só quero estar ao vosso lado para vos ajudar a levantar nem que vocês recusem minha mão, tentarei que a aceitem sem darem por isso...
Às vezes já sinto algum cansaço mas sei que o caminho que temos a fazer os três ainda será longo e como a casa fica vazia sem vocês apesar do silêncio que se faz sentir...
um silêncio tanto de bom como amargo!
pensadora
publicado por pensadora2 às 18:31
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. na falta de inspiração...

. acordes da vida...

. adversidades da vida...

. neste momento só me resta...

. tentarei pensar...

. disfarce autorizado...

. um mimo do meu marinheiro...

. a ausência...

. o silêncio...

. resistir ao inverno...

.arquivos

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds