Domingo, 30 de Janeiro de 2005

história de uma mosca..




Contam que certa vez duas moscas caíram num copo de leite. A primeira era forte e valente, assim logo ao cair nadou ou até à borda do copo, mas como a superfície era muito lisa e ela tinha as asas molhadas, não consegui sair. Acreditando que não havia saída, a mosca desanimou, parou de nadar e de se debater e afundou-se. A sua companheira de infortúnio, apesar de não ser tão forte era tenaz, e, por isto continuou a debater-se, a debater-se, a debater-se por tanto tempo, que , aos poucos o leite em seu redor, com toda aquela agitação, foi-se transformando e formou um pequeno nódulo de manteiga, , onde a mosca tenaz conseguiu com muito esforço subir e dali levantar voo para algum lugar seguro. Durante anos ouvi esta primeira parte da história como um elogio à persistência, que , sem duvida, é um hábito que nos leva ao sucesso no entanto.. Tempos depois, a mosca tenaz, por descuido ou acidente, novamente caiu no copo. Como já havia aprendido com a sua experiência anterior, começou a debater-se, na esperança de que, no devido tempo, se salvaria .Outra mosca, passando por ali e vendo a aflição da companheira de espécie, pousou na beira do copo e gritou: - “ Tens uma palhinha, nada até lá e sobe por ela”. A mosca tenaz não lhe deu ouvidos, baseando-se na sua experiência anterior de sucesso , continuou a debater-se e a debater-se, até que, exausta se afundou no copo cheio de agua." Quantos de nós , baseados em experiências anteriores, deixamos de notar as mudanças no ambiente e continuamos a esforçar-nos para alcançar os resultados esperados até que nos afundamos na nossa própria falta de visão? Fazemos isto quando não conseguimos ouvir aquilo que quem está de fora da situação nos aponta como solução mais eficaz e, assim, perdemos a oportunidade de “reenquadrar “ a nossa experiência e ficamos paralisados, presos aos velhos hábitos, com medo de errar. Quantas vezes na vida não ficamos presos a velhos hábitos com medos de errar, ou então porque já aconteceu dessa forma uma vez achamos que vai acontecer sempre assim. Claro que a experiência de vida e a persistência são essenciais para conseguirmos vencer as dificuldades. Tal como uma criança tem que aprender andar sozinha, caindo e levantando-se, a segurar na colher para levar à boca. Mas temos que aprender a caminhar em todas as direcções e não acharmos que porque falhou ou acertámos uma vez o vai acontecer sempre! Temos que olhar em nosso redor e ver as várias saídas possíveis, ver todas as flores do jardim e regá-las com amor , carinho e esperança e que uma se vai tornar especial e nos vai fazer feliz! Não podemos parar por medo de errar, ou com medo que não dê certo senão não teríamos sido capazes de aprender andar, a caminhar a segurar uma bela flor para cheirarmos, apreciarmos e nos deliciarmos com o seu aroma e suavidade! Pior que errar é não arriscar com medo de falhar!
Pensadora
publicado por pensadora2 às 20:15
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. na falta de inspiração...

. acordes da vida...

. adversidades da vida...

. neste momento só me resta...

. tentarei pensar...

. disfarce autorizado...

. um mimo do meu marinheiro...

. a ausência...

. o silêncio...

. resistir ao inverno...

.arquivos

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds