Segunda-feira, 12 de Dezembro de 2005

prisioneira...

ancorados no porto.jpg



Vejo-me a navegar por mares longínquos, perdida entre ondas num pensar constante.
Mergulhada nas minhas dúvidas , angústias e incertezas. Mas mesmo assim deixo-me navegar , entrego-me às tempestades e muitas vezes sinto-me sem força para as vencer. Nem me apetece lutar, apenas me deixar ir na corrente, sem saber para onde vou nem se vou conseguir regressar.
Às vezes penso que sou tonta em me deixar vencer pelos medos, mas não consigo caminhar nesta terra que sinto pouco firme e então lanço as velas e faço-me ao mar. Tentando encontrar uma terra que me dê mais firmeza, um mundo onde possa abrir a página da verdade e que me ofereça uma vida de esperança.
Tento esquecer o que de bom vivi, o que me foi oferecido e entregue com carinho sem cobranças. Tento apagar todas as lembranças dos amores vividos, dos sorrisos trocados.
Tento lavar as feridas de quem magoei e partir para um novo mundo desconhecido, mas onde seja menos prisioneira de mim mesma.
Sei que nada me livrará deste sofrimento, do medo , das angústia e mesmo que suma no horizonte , encoberta num manto molhado pelo orvalho, sem me importar com o que deixo, uma paixão por viver, uma vida pela metade, mas rumo para um mar desconhecido que pode estar coberto de gelo , ou ser suave azul e sereno…
Só sei que preciso navegar, velejar por outros mares, conhecer novos portos , novos marinheiros e não sei se um dia voltarei ao cais, ou talvez um dia queira voltar e seja tarde demais.
Claro que esta minha vontade de partir não me impede de olhar para traz, vislumbrar o deixo em troca de nada, mas mesmo assim arrisco partir antes que venha um vento Norte e destrua tudo à minha volta e já não tenha para onde ir ou ficar…e em meu redor só haja destruição , escombros deixados por um furacão que só levanta dor, fazendo vitimas e aí depois de tudo destruído já de nada adiantarão as lágrima, para consertar as feridas, o abandono ou as mágoas…A vida dificilmente retornará à normalidade…
Sei que corro o risco de me afundar, as minhas velas não aguentarem a força dos ventos, das marés ,mas sei que preciso estar atenta a todas as correntes para não ficar demasiada presa ao meu pequeno barco e assim perder oportunidades de conquistar a tão sonhada felicidade…

pensadora
publicado por pensadora2 às 16:29
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De Anónimo a 15 de Dezembro de 2005 às 12:51
Good.Amorzinho
(http://www.mailsdeamor.blog.pt)
(mailto:liasousatavares@sapo.pt)


De Anónimo a 14 de Dezembro de 2005 às 22:08
Amiga Pensadora...Se és Prisioneira...posso te Dizer que tu tens a chave que te Libertará..só tens que a usar...não tenhas medo de cheirar a liberdade...tem receio é se a chave se perder...para alguem que não merece...tu já há muito tempo que devias ser feliz.lindo texto, um beijojulio
</a>
(mailto:jjbbranco@sapo.pt)


De Anónimo a 14 de Dezembro de 2005 às 19:04
Muitas vezes somos prisioneiros de nós próprios. Da nossa cabeça.Dos nossos medos. Dos nossos receios. Das nossas dúvidas. A isso chama-se viver. Vive Pensadora, VIVE com letra bem grande. Liberta-te da angústia da escolha. Liberta-te do conceito de custo de oportunidade - aquilo que perdes por ter uma coisa em vez de outra. VIVE. Navega nesse teu mar por vezes calmo outra vezes turbulento. VIVE e atraca no teu Porto de Abrigo.
Segue o teu Farol. A tua Luz ao fundo do caminho.
Com a Amizade de sempre. LeonorLeonor
</a>
(mailto:leonorcalves@sapo.pt)


De Anónimo a 13 de Dezembro de 2005 às 14:59
Olá amiga. Estou aki para te dizer que és destaque no nosso blog. Não foi nada difícil a escolha. Beijos VampireskosBlack_Vampire / Deuza
(http://vamps.blogs.sapo.pt)
(mailto:deuza@hotmail.com)


De Anónimo a 13 de Dezembro de 2005 às 13:48
Navega pensadora! Gostei muito deste teu texto de marinhar! BeijoMaria Papoila
(http://apapoila.blogs.sapo.pt)
(mailto:msantosilva@sapo.pt)


De Anónimo a 12 de Dezembro de 2005 às 22:06
Se não tentares, nunca te poderás arrepender... apenas daquilo que não fizeste! O pior é que dessa maneira nunca saberás! Força e um beijinho.Ritisabel
(http://pegadasnaareia.blogs.sapo.pt)
(mailto:ritalexandre@hotmail.com)


Comentar post