Sexta-feira, 9 de Dezembro de 2005

um sol envergonhado...

entre voces me despeco.jpg

Lá fora um sol envergonhado, talvez por estarmos em Dezembro e os raios de Sol não tenham forças para contrariarem a Natureza. Ele sabe que agora não é a sua altura de reinar. Tem que dar lugar aos seus parceiros , a chuva e o vento.
Tal como o Sol hoje também acordei nostálgica ,talvez porque sem querer não consigo deixar de pensar…e me envolver no que me rodeia. Às vezes queria fechar os olhos, o meu coração e tornar-me num pedaço de gelo que só derretesse nos dias de Sol. Ontem aqui mesmo no pc ouvi uma amiga de longa data queixar-se dos encontros e desencontros do seu casamento, da decisão que sabia que deveria tomar, mas falta de coragem, do medo da recriminação dos outros e o receio de recomeçar tudo de novo…mas um dia eu talvez ela consiga ter forças para ver que lá fora há um mundo à espera dela, nem melhor , nem pior , apenas diferente e que lhe pode oferecer um recomeçar, com menos ansiedade, menos desespero, menos lágrimas escondidas.
A vida ensinou-me que podemos demorar a levantar-nos depois da queda, mas que acabamos sempre por nos erguer. Se continuarmos a viver uma vida que não nos pertence é um cai e levanta constante que nos faz sentir desequilibrados e sem saber se queremos cair ou levantar….Se estivermos caídos no chão sofremos em silêncio se nos levantarmos temos que olhar enfrente e viver a vida que escolhemos, mas muitas vezes não lemos bem o guião porque senão certamente não tínhamos aceite o papel principal….de um filme que não parece ser nosso!
Outros amigos reais ou virtuais ( apenas porque não lhe conheço o rosto) porque para mim a partir do momento que falam comigo, brincamos, desabafamos junto, não me importa o rosto, a cor dos olhos , são pessoas que começam a fazer parte da minha vida e eu preocupo-me com elas sinto-lhes a falta sempre que estão mais ausentes. Comentaram os seus encontros e desencontros, o seu desanimo com a vida, a sua falta de motivação…Será que as pessoas vivem ou sobrevivem? Afinal tanta gente lamenta a sua dor, o seu percurso…
Hoje ao chegar ao meu local de trabalho uma colega também com problemas conjugais tentava sorrir para não chorar, o seu olhar cansado e ausente fez –me comentar algo para início de conversa , mas percebi a sua tristeza o seu desanimo ….trinta anos de sonho desfeitos há menos de um , uma vida de mentiras disfarçada em anéis de brilhantes, perfumes, carros bons, mas afinal tudo não passava de uma ilusão…ou de um vida de princesa que agora se está a transformar em gata borralheira. Afinal atrás de cada castelo que é nossa casa, muitas lágrimas são escondidas, muitos desgostos e segredos atafulhados em baús, malas e malotes…
O Natal é o tempo de sentar à mesma mesa famílias que muitas vezes estão perdidas e que farão de tudo para evitar certos olhares mas mesmo assim compram prendas e repartem sorrisos e abraços.
Mas apesar de tudo têm um castelo. Não pude deixar de passar indiferente uma noticia que ouvi de uma família que foi despejada porque devia pouco mais de 50 euros de rendas em atraso, não conheço as razões, não conheço os antecedentes , mas não posso ficar indiferente uma noticia destas…ainda por cima quando a cidade está cheia de luzes que acendem e apagam, carros de compras cheios de brinquedos, chocolates….Será que não haveria outra forma de resolver a situação? Cinquenta e poucos euros….
Sabem cada vez gosto menos do Natal , não porque ele seja o culpado das desgraças mas o seu espírito está perdido nas grandes superfícies em que se pode apagar todas as mágoas com um presente..
O dia vai correndo, o Sol tenta impor o seu reinado mas eu não consigo parar de pensar em tantas pessoas que vão passar o Natal embrulhadas em cartões que esperam um carinho ou um prato de sopa quentinho que lhe afague o estômago e o coração…outras que tendo muita gente no mundo, foram pais, irmão, avós ficaram sozinhos à medida que as rugas foram vincando o seu rosto….
Ontem curiosamente quando fui buscar o meu marinheiro a uma festa de aniversário vi um rapaz dos meus tempos de juventude de quem até fui muita amiga, que dava nas vistas pela sua beleza, pela sua mota( coisa rara na altura) pelo seu sotaque inglesado já que tinha vindo do estrangeiro…olhei para ele e quase não o reconheci continuava charmoso, mas tão diferente…os seus cabelos claros e soltos deram a agora lugar a um cabelo grisalho cheio de brancas, um porte mais robusto…o mesmo ar tímido e calado… e pensei naquela frase típica” estás na mesma”. Pura ilusão. Não, os anos passam e deixam marcas…quando cheguei a casa fui me ver ao espelho, talvez o mesmo ar de menina, mas os nos meus olhos rugas profundas que não mentem, o meu rosto cansado…de quem já desbravou muitos caminhos e tropeçou em muitas pedras!
As pessoas há medida que vão envelhecendo mudam por dentro e por fora…e o Natal há medida que a sociedade a tecnologia foi evoluindo também se foi vestindo com outras vestes, vestiu o fato do consumo e da indiferença…
Enfim o Sol vai abrindo e vou tentando viver mais um dia e esperar que chegue depressa a noite para me encontrar no silêncio, depois dos meus marinheiros descansarem…e eu ter uns minutos, umas horas para mim , para renascer de novo…

pensadora
publicado por pensadora2 às 18:13
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De Anónimo a 14 de Dezembro de 2005 às 22:16
Amiga...tu sabes que um dia o natal vai acabar...mas para quem tem alma...espirito de sacrificio...quem lutou um ano inteiro para ver seus marinheiros sorrirem...haverá sempre a esperança e o inconformismo que o amor triunfará sobre o egoismo. Te digo que um dia esse sol envergonhado vai sair do seu esconderijo..e correrá feliz pelos ceus da esperança. beijos, juliojulio
</a>
(mailto:jjbbranco@sapo.pt)


De Anónimo a 12 de Dezembro de 2005 às 15:41
Estou mal de uma "asa" e não posso teclar com a mão direita..., gostei muito deste texto, porque vivi alguns anos de "fachada" numa torre de marfim... há quem viva assim e se dê bem, mas também há o inconformismo... Estamos pois do mesmo lado, Pensadora... BeijoMaria Papoila
(http://apapoila.blogs.sapo.pt)
(mailto:msantosilva@sapo.pt)


De Anónimo a 12 de Dezembro de 2005 às 08:45
Olá estou te vistando pela primeira vez sou do blog Entre Amigos e vim convidar aparticipar através de sorteio do destaque da semana. Informações apartir no post do dia 12/12. Boa sorte! Saibba que adorei tudo que li, vc escreve muito bem, parabéns!! Bjos
http://blogentreamigos.zip.net
http://versoseprosa.zip.net
Iara
(http://blogentreamigos.zip.net)
(mailto:blogentreamigos@hotmail.com)


De Anónimo a 11 de Dezembro de 2005 às 22:38
Boas Festas!
:o)PEROLA
(http://perolasegranitos.blogspot.com)
(mailto:perolas@netcabo.pt)


De Anónimo a 11 de Dezembro de 2005 às 11:37
Sinceramente cada vez mais gosto de aqui vir. Sinto prazer qundo leio o que escreves e isso é bom. Olha, vem passar uns dias aqui à Madeira, pk aqui o Sol está tudo menos envergonhado. Brilha de manhã à noite e está feliz. Um feliz Natal. Hoje inauguro o meu novo blog, para além de continuar a escrever no blog das trevas. Um beijo.zzeca
(http://omeusom.blogs.sapo.pt)
(mailto:zzeca855@hotmail.com)


De Anónimo a 11 de Dezembro de 2005 às 00:14
Adorei ler este teu texto. É verdade, esta época natalicia cada vez é mais de fachada, de enganos. Muda, tal como muda uma vida, uma história, que antes poderia ser bela, mas fica feia, sem graça. É aí que começa a doer, e doi muito! O que se faz? É como tu dizes, ergue-se a cabeça, olha-se em frente e luta-se. Não se pode ficar acomodado, pois lá fora há um dia de sol, que pode ser timido, mas tem de ser disfrutado para mostrar todas as suas maravilhosas cores. Fizeste-me pensar e ter força para tirar partido desse sol, dessa vida que não pode deixar de ser vivida! Obrigada. Um beijinho.Ritisabel
(http://pegadasnaareia.blogs.sapo.pt)
(mailto:rialexandre@hotmail.com)


Comentar post